Espontânea e rejeição, mais do que desinteresse, indicam desencanto

Esqueça as pesquisas de intenção de voto. Agora, o que conta são as espontâneas e a rejeição. Datafolha e Ipespe mostram que o eleitor não está só desinteressado, está desencantado. Mas, se não reagir, os meliantes do erário vão continuar no comando

Bolsonaro avançou duas casas e deixa de ser surpresa

Bolsonaro avançou duas casas e deixa de ser surpresa no jogo eleitoral. Sondagem da XP Investimentos indica que os tubarões do mercado veem como real a possibilidade do ex-capitão virar presidente da República

A queda de Pedro Parente nos deixa mais perto da Venezuela

Estamos longe, ainda, do padrão fracassado da Venezuela. Dono das maiores reservas de petróleo do mundo, o empobrecido vizinho padece com o intervencionismo, aparentemente adotado por Michel Temer.

Os caminhoneiros não são idiotas, já aprenderam a usar o celular

A greve dos caminhoneiros suscitou teorias da conspiração. Equivocadas, tratam os caminhoneiros como idiotas. Equívoco. Eles já aprenderam a usar o WhatsApp.

Se quiser ser justa, a Justiça terá que ir além de Lula e PT

A prisão de José Dirceu parece o desfecho de um processo que, até aqui, privilegiou as ações contra o PT. Como se MDB e PSDB não abrigassem igualmente meliantes do erário. Se quiser ser justa e respeitada, a Justiça deve voltar-se com a mesma disposição na direção de tucanos e emedebistas, ambos abrigos de expoentes da Lava-Jato.

Não é apenas estratégia. Insistir com Lula é também falta de opção

A esquerda será pragmática caso surja outro companheiro capaz de reconduzi-la ao poder pelo voto. Não seguirá com ele rumo ao cadafalso.

Nas brumas eleitorais, espontânea e rejeição é o que conta nas pesquisas

Pesquisas de intenção de voto, a essa altura do jogo eleitoral, não são bons indicativos da vontade do eleitor. Das pesquisas, por enquanto, salva-se a declaração espontânea de voto e a rejeição. Basta ver os antecedentes.

Vespertinas: a volta de Sarney, academia militante & o MP sem pressa

O Matutinas traz três assuntos: o dilema do PT com a volta de Sarney ao Maranhão, a universidade que não debate & o que une o edifício paulistano que desabou e o inquérito que levou à prisão de Lula.

Vespertinas: Que tal inspecionar Cuba?

Caso queira mesmo encontrar violações aos direitos humanos, Pérez Esquivel poderia visitar Cuba, onde 7.325 pessoas foram assassinadas pelo regime de Fidel Castro desde 1959. Ou, ainda, as presas de Rondônia, negras e pobres, que conviveram com ratazanas em suas camas.

O desafio da direita é superar Bolsonaro

O desafio dos chamados direitistas é encontrar um nome que supere a força do capitão Jair Bolsonaro, representante da direita tosca. Se correrem cada uma raia própria, o Brasil poderá enfrentar mais quatro anos de choro e ranger de dentes.