Collor tenta apagar rastros de Gim Argello

Até a prisão de Gim Argello, Fernando Collor liderava no Senado o bloco parlamentar União e Força, integrado por 10 senadores do PTB, PR,...

O tchau, querida, de Lula

Lula e Dilma vão deixar os rancores mútuos de lado para serem protagonistas de uma última cena juntos. Lula disse a amigos que vai...

Delcídio confirma: Geddel foi seu padrinho político na Petrobras

Em sua delação premiada, Pedro Corrêa, ex-presidente do PP, disse que Geddel Vieira Lima, articulador político do governo Michel Temer, foi quem indicou Delcídio...

Santíssima Trindade sindical ligada a Lula entra na mira da Lava Jato

No governo Lula, o trio sindicalista Diego Hernandes, Armando Tripodi e Wilson Santarosa ocupava cargos-chave na Petrobras. Agora estão na linha de tiro da Lava Jato.

O Dia D de um trem descarrilhado chamado Câmara dos Deputados

No folclore árabe, os gênios, bons ou maus, às vezes escapam de lâmpadas ou garrafas. É o que parece estar acontecendo no...

Quem aposta em apagar a Lava Jato corre o sério risco de se queimar

O velho e vitorioso jogo de quem tem dinheiro e poder se livrar da Justiça está em xeque.

Carmén Lúcia pode melhorar a sintonia entre a Justiça e a sociedade

Depois da controvertida gestão de Lewandowski, a nova presidente do STF aposta em combate mais intenso da corrupção e em maior rigor do Conselho Nacional de Justiça com os mais variados desmandos
Renan Calheiros.

Renan: regras eleitorais devem se adequar ao fim do dinheiro de empresas nas campanhas

Deputados e senadores saíram para a campanha com a intenção de revogar a proibição às empresas de bancarem as candidaturas políticas. Retornaram com outro entendimento. Em conversa com Os Divergentes, o presidente do senado diz que a reforma política é que deve se ajustar a essa nova realidade de campanhas mais baratas.

Aécio bota a cara na TV para tentar equilibrar o jogo com Alckmin

Com a ameaça de derrota em Belo Horizonte, Aécio aparece na propaganda eleitoral como maior aposta de vitória tucana.

Jornal Nacional acaba com ilusões de blindar Geddel no espigão de Salvador

As reportagens que mostram o envolvimento bem maior de Geddel e de sua família com espigão de Salvador atropelam a estratégia palaciana de "virar a página".

Veja também

PIB e mercado começam a repensar apoios a Bolsonaro

Percebeu-se, afinal, que o candidato do PSL não tinha um programa econômico tão estruturado assim, e que esses improvisos podem gerar muita insegurança. Ficou claro também que Guedes, o “Posto Ipiranga” que, segundo Marina Silva, pegou fogo, também não está com essa bola toda

Ciro vai bater em Haddad