Andrei Meireles

Andrei Meireles
671 TEXTOS 0 Comentários
Repórter de Política há mais de 40 anos, Andrei Meireles passou pelas redações dos jornais O Globo e Jornal de Brasília, das revistas IstoÉ e Época, foi comentarista político do boletim diário da revista Época na rádio CBN e colunista do Fato Online. Um dos mais premiados jornalistas brasileiros, tem dois prêmios Esso (de Reportagem em 2000 e de Jornalismo em 2001) e três prêmios Embratel (de Jornais e Revistas em 2001 e 2004 e o Grande Prêmio Embratel Barbosa Lima Sobrinho em 2009).

Mudança do vento ameaça vitória petista no Rio Grande do Norte

O PT esperava eleger no primeiro turno todos seus candidatos a governos estaduais no Nordeste. Quase conseguiu. Fátima Bezerra não chegou lá e começa a correr risco de perder no segundo turno

A briga desde agora é por quem vai liderar a oposição a Bolsonaro

Nos bastidores, ninguém aposta em virada eleitoral. A disputa é por posições no tabuleiro contra Bolsonaro

Haddad não consegue reabrir portas que Lula fechou no primeiro turno

O PT parece chocado porque ninguém se mostra disposto a lhe passar um cheque em branco

Ibope confirma: no jogo de rejeições, o PT e Haddad perdem de lavada

PT que esperava más notícias do Ibope, como a diferença entre as intenções de voto, tomou um susto com os números sobre rejeição

Haddad ainda trata como tabu o PT ter se lambuzado na corrupção

Com respostas evasivas, sem um mea culpa crível, a campanha petista continua a dar munição para Bolsonaro

Ataque de Haddad a Universal põe em risco eficácia de aliança com a CNBB

Isolado no campo político, e mal visto por evangélicos, o PT pediu socorro à Igreja Católica. Antes mesmo de qualquer ajuda, partiu para a briga com Edir Macedo

Doria força a barra e leva bolo de Bolsonaro

Sempre afoito, Doria mais uma vez atropela o tempo político e paga mico

DataFolha expõe dilema de Haddad: ganha ou perde se descolar de Lula?

Desde o começo, a campanha petista bate cabeça. Com a disparada de Bolsonaro, no segundo turno passou a atirar para todos os lados. Pela pontaria exibida até agora, parece mais difícil acertar o alvo do que o próprio pé

Haddad fica sem palanques nos principais colégios eleitorais

Depois do tsunami conservador, candidatos a governador, mesmo os que esperam votos petistas, não querem ficar contra Bolsonaro no segundo turno

O eleitor quer punir quem mamou ou fechou os olhos para a roubalheira

A falta de sintonia com costumes e valores da população em geral e a corrupção generalizada abriram o caminho para o tsunami Bolsonaro

Veja também

Guerra de palavras – Bolsonaro versus Haddad

Mesmo com os programas da propaganda política do Tribunal Superior Eleitoral no ar – cuja finalidade original é garantir aos candidatos apresentarem no rádio...

Michel quem?