Amorim reúne Chomsky, Villepin e Zapatero para falar de ameaças à democracia 

Celso Amorim. Foto Orlando Brito

Se há hoje um articulador a quem se pode atribuir a solidariedade internacional e a reação no exterior à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ele se chama Celso Amorim. Diplomata de carreira, Chanceler durante os oito anos dos mandatos de Lula e ministro da Defesa no primeiro governo de Dilma Rousseff, Amorim tem movido mundos e fundos chamando a atenção para a causa do ex-presidente que cumpre pena de prisão de 12 anos em Curitiba, condenado pela Lava Jato.

Com a mesma determinação que à frente do Ministério das Relações Exteriores construiu uma personalidade para a política externa brasileira, que chamou de “altiva e ativa”, Amorim tem defendido junto aos seus interlocutores (algumas das mais influentes personalidades do planeta, como o Papa Francisco) o argumento de que Lula “é um preso político” e que o Brasil passa por um momento extremamente difícil. “O Brasil é um país em decadência antes de ter sido desenvolvido”, afirma.

José Luiz Zapatero no Brasil quando Lula era presidente. Foto Marcelo Botelho/ObritoNews.

Nesta sexta-feira, o trabalho que o ex-ministro tem feito no exterior ganhará visibilidade e uma vitrine no Brasil. A Fundação Perseu Abramo (FPA) realizará durante todo o dia 14 de setembro o seminário internacional “Ameaças à Democracia e a Ordem Multipolar”, um evento costurado por Amorim a partir de uma conversa que teve há alguns meses com – Dominique de Villepin, ex-primeiro-ministro da França. “Ele me disse: o Brasil faz falta ao mundo. E foi a partir dessa ideia que pensamos o Seminário”, conta o ex-ministro.

O Seminário “Ameaças a democracia e à Ordem Multipolar” que começa às 9 horas reunirá, além de Villepin, ex-primeiro-ministro da França; Massimo D’Alema, ex-primeiro-ministro da Itália e o ex-primeiro-ministro da Espanha, José Luís Zapatero e o professor Noam Chomsky, que revolucionou a linguística moderna e notabilizou-se por suas posições políticas progressistas.

Também participam Pierre Sané, ex-secretário geral da Anistia Internacional e presidente do Imagine Africa Institute (Senegal); Jorge Taiana, deputado do Parlamento do Mercosul e ex-ministro das Relações Exteriores da Argentina; Cuauhtémoc Cárdenas, presidente do Centro Lázaro Cárdenas y Amalia Solórzano e ex-governador do Distrito Federal do México; e Carlos Ominami, ex-senador e diretor da Fundación Chile 21 (Chile).

A abertura será feita por Marcio Pochmann, presidente licenciado da Fundação Perseu Abramo; e pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente do PT. Participam também os ex-ministros Luiz Carlos Bresser Pereira e Miriam Belchior.

O Seminário é restrito a convidados, mas haverá transmissão ao vivo:
https://www.youtube.com/user/FundacaoPerseuAbramo/
https://www.facebook.com/fundacao.perseuabramo/

Deixe seu comentário