Fotografia é História – João Amazonas

João Amazonas no Palácio da Alvorada. Foto Orlando Brito

Em 1935 João Amazonas descobriu a política. Entrou para a Aliança Nacional Libertadora e logo depois no Partido Comunista do Brasil. Fez curso de marxismo-leninismo em Moscou, participou do XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética. Dedicou sua vida à luta revolucionária.

Elegeu-se deputado para a Constituinte de 1945, ele que já havia sido preso pela ditadura de Getúlio Vargas, no início do Estado Novo. Com o Golpe de Estado de 1964, tornou-se um dos líderes de esquerda mais procurados do país e passou a viver na clandestinidade. Era acusado de ser um dos idealizadores da Guerrilha do Araguaia. Jamais foi localizado. Ainda assim, comandou o PCdoB até o fim do Regime Militar.

Com a abertura política do general Ernesto Geisel e, em seguida, a redemocratização do general João Figueiredo, foi promulgada a Anistia, em 1979. Em seguida, o senador José Sarney assumiu a presidência da República no lugar de Tancredo Neves, que faleceu às vésperas de tomar posse. Com o país de volta às mãos de um civil, os exilados no Exterior, agora anistiados, puderam voltar ao Brasil.

Um deles foi João Amazonas, que vemos aí na foto, em frente ao Palácio da Alvorada, local em que jamais estivera.

Nascido em Belém, João Amazonas de Souza Pedroso morreu em 2002, aos 90 anos, em São Paulo.

 

Deixe seu comentário