Solidariedade vai lançar Aldo Rebelo candidato a presidente na segunda-feira em São Paulo

Aldo Rebelo.
Aldo Rebelo. Foto Orlando Brito

O ex-ministro Aldo Rebelo confirmou agora à noite a Os Divergentes que aceitou o convite do Partido Solidariedade para ser candidato a Presidente da República. A ficha de inscrição do novo filiado foi registrada nesta quinta-feira, entrando no sistema como data oficial de admissão. O prazo final para filiações encerra-se na sexta-feira, dia 13 de abril.

Ontem à tarde Rebelo anunciou seu afastamento do PSB, partido a que estava filiado desde setembro do ano passado, quando saiu do PCdoB.

O presidente do Solidariedade, deputado Paulinho da Força, está organizando uma cerimônia oficial de recepção a Aldo Rebelo para a próxima segunda-feira, em São Paulo. Nessa oportunidade, deverá ser lançada a pré-candidatura do novo membro. Semana que vem Aldo Rebelo irá a Brasília para ser apresentado à bancada e demais instância da direção nacional do partido.

Segundo Rebelo disse a este blog que não se deve estranhar sua adesão a essa agremiação, pois o Solidariedade é um partido que atende perfeitamente à sua configuração de homem público: é uma entidade de origem nas lutas da classe operária, com uma linha ideológica de pegada sindical e com ideologia compatível a seus ideais conhecidos. Como se recorda, o ex-ministro tem origem no Partido Comunista do Brasil, o PCdoB.

Os pontos principais de convergência são a participação defesa e fortalecimento do proletariado como classe (independente das questões identitárias), que se configura na redução das desigualdades, atenção e resguardo da soberania nacional, o nacionalismo, o desenvolvimentismo, a defesa nacional e os princípios éticos de gestão e condução das instituições do estado, entre outras visões do futuro do Brasil (como educação, ciência etc.).

A aproximação com esse grupo político deu-se a partir da divulgação do manifesto de Aldo Rebelo pela união nacional (publicado na íntegra em primeira mão neste blog), quando dezenas de dirigentes do Partido Solidariedade e de seu braço operário, a central sindical Força Sindical, assinaram um manifesto de apoio aquele ideário.

Deixe seu comentário
COMPARTILHAR
Artigo anteriorAfastamento de Aldo Rebelo do PSB não é um ato isolado
Próximo artigoCármen Lúcia assumirá o lugar de Temer no Planalto por um dia
José Antônio Severo
Jornalista há mais de 40 anos na imprensa econômica, foi editor executivo da revista Exame, editor e diretor da Gazeta Mercantil, editor chefe do Jornal da Globo e diretor geral de Jornalismo da Rede Bandeirantes. Foi repórter dos jornais O Estado de S. Paulo e O Globo, das revistas Realidade e Veja. Na televisão foi integrante da bancada do programa Crítica&Autocrítica da Rede Bandeirantes e âncora do programa Primeira Página da TV Nacional de Brasília. Autor, dentre outros, dos livros “Os Senhores da Guerra” (L&PM Editores) e “Cem Anos de Guerra no Continente Americano” (Editora Record). Produtor e roteirista de longas-metragens.