José Antônio Severo

José Antônio Severo
102 TEXTOS 0 Comentários
Jornalista há mais de 40 anos na imprensa econômica, foi editor executivo da revista Exame, editor e diretor da Gazeta Mercantil, editor chefe do Jornal da Globo e diretor geral de Jornalismo da Rede Bandeirantes. Foi repórter dos jornais O Estado de S. Paulo e O Globo, das revistas Realidade e Veja. Na televisão foi integrante da bancada do programa Crítica&Autocrítica da Rede Bandeirantes e âncora do programa Primeira Página da TV Nacional de Brasília. Autor, dentre outros, dos livros “Os Senhores da Guerra” (L&PM Editores) e “Cem Anos de Guerra no Continente Americano” (Editora Record). Produtor e roteirista de longas-metragens.

Ser ou não ser? O dilema de Gleisi Hoffmann

Ela é a figura emblemática, que está em construção e que poderá chegar mais forte do que se pensa em 7 de outubro. Como dizia o Conselheiro Acácio: “quem viver verá”

A inútil queda de braço na crise dos fretes

Os caminhoneiros e seus fregueses foram pegos no contrapé pelas altas do petróleo e o do dólar. Não há solução mágica que feche a conta. Afinal, não dá para revogar no "tapetão" a Lei da Oferta e da Procura

Por que a Petrobras não muda o seu modelo de negócio

Para assegurar a estabilidade do sistema de previdência privada, que segue as regras do mercado internacional, a estatal precisa demonstrar que é uma empresa estável, merecedora da confiança dos investidores de longo prazo

Generais botam água fria na fervura do golpe militar

Diferente dos velhos "tenentes" da Revolução de 30, que também chefiaram o golpe de 64, os novos líderes militares estão com a cabeça longe do poder.

O acordo dos caminhoneiros: tiro n’água? Bala perdida? ou tiro no pé?

Tanto a tabela do frete mínimo quanto os preços máximos do óleo diesel na bomba são incontroláveis. Não há lei que garanta seu cumprimento. A lei da oferta e da procura não foi revogada
Jair Bolsonaro com militares no Congresso.

Bolsonaro sustenta Michel Temer

Com boas chances eleitorais, o capitão-candidato prefere deixar o governo sangrar e apostar na volta dos militares ao poder pelo voto

Levante dos caminhoneiros foi a “primavera” do WhatsApp

O mercado de fretes vive um momento crítico. O período das vacas gordas, a safra de grãos, realizou-se com dólar desvalorizado e petróleo lá embaixo. Quando entra a entressafra, os dois insumos, dólares e barril de óleo no mercado internacional, disparam para cima novamente

Petrobras regride à imagem dos anos 70

O mercado não gostou da estatal tomar medidas do interesse do governo. A crise que se abateu a partir da Lava Jato se espraia agora como efeito colateral da greve dos caminhoneiros.

Bolsonaro diz ao Partido que não há recursos para as campanhas regionais

Sem fundo eleitoral, militares da reserva vão recorrer a vaquinhas para financiar a eleição de uma bancada verde-oliva.

Parlamentarismo vem por gravidade

O presidencialismo de coalizão naufragou. A maioria é formada depois do eleito ser diplomado. É a porta aberta para a chantagem ou sua contrapartida, o suborno.

Veja também