Vai-se o primeiro tucano despertado…

Bruno Araújo na cerimônia de entrega do Cartão Reforma.

Um dos personagens do saudoso Chico Anysio, o locutor Roberval Taylor, costumava declamar nos programas o poema “As Pombas”, de Raimundo Correia. Ele caprichava nos pés e bês da palavra pomba. A brincadeira é que no Ceará de Chico Anysio pomba tem uma conotação um pouco mais, digamos, erótica. Então, a cada “pomba” que Roberval Taylor soltava, coravam os rostos das senhoras da sociedade cearense. Mas o poema falava da revoada de pombos para fora dos pombais comparando-as aos corações na juventude. O primeiro verso dizia: “Vai-se a primeira pomba despertada”…

Na nada poética política atual brasileira, iniciou-se no governo Michel Temer a revoada de tucanos pelo ministro das Cidades, Bruno Araújo. E, como tudo o que envolve o PSDB, a argumentação de Bruno Araújo para a sua saída é bem peculiar. Ele não sai por considerar que o PSDB deve ficar mais independente, como prega o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o senador Tasso Jereissati (CE) e até o senador Aécio Neves (MG), que há dois dias disse que “há convencimento de todos” quanto à necessidade do desembarque. Sai por reclamar que falta no PSDB “apoio no tamanho” que lhe permita continuar no cargo.

Araújo faz na carta elogios ao governo Temer, dizendo que “a serenidade da história vai reconhecer (…) resultados profundamente positivos para a sociedade brasileira”.

Ou seja, mesmo o revoar do “primeiro tucano despertado” não parece clarear a situação do PSDB. Bruno Araújo cede à pressão dos “cabeças pretas” mas fazendo um discurso de “cabeça branca”. Sua saída, com o conteúdo da sua carta, não resolve de pronto o amadurecimento da posição de independência do governo que a ala que ficou conhecida como “cabeças pretas” deseja, para embasar o projeto tucano para a sucessão do ano que vem. E, ao mesmo tempo, enfraquece o discurso da ala chamada de “cabeças brancas” que apoia o governo. Afinal, ele saiu do ministério.

Assim, o “primeiro tucano despertado” voou somente do pombal para o muro. Seu coração juvenil não lhe permitiu arroubos maiores que lhe permitissem vencer a sua natureza tucana…

Deixe seu comentário