Fotografia é História – Tempos outros

1970: Motosseras à venda num bar em Altamira, no Pará. Foto Orlando Bito

Altamira, no Pará, na beira da rodovia Trans-Amazônica, fim da década de 1970, época em que o desmatamento era algo tão comum que praticamente ninguém se incomodava ou protestava contra a degradação da natureza.

O uso de motosserras era algo tão comum que até os bares as tinham para vender, expostas sobre troncos de árvores já cortadas, como destaque e peça de modernidade.   

Um fotógrafo de notícias tem de ter olho atento para tudo que o cerca, mesmo parecendo-lhe corriqueiro aquilo que enxerga. E essa foto aí é um bom exemplo disso.

A ver: uma cena tão banal, que retratei sem nenhum capricho visual, da janela de um jipe em movimento, hoje representa algo inimaginável. Na época da construção da BR-230, estrada que fazia parte do projeto de colonização da Amazônia, o governo incentivava a ida de colonos para a região.  

As máquinas de ceifar árvores eram peça essencial para tombá-las e possibilitar a posse da terra. Agora, passados trinta e poucos anos, apesar de ainda haver devastação, a consciência sobre preservação ecológica mudou. A toda hora a gente lê notícia sobre apreensão e multa para quem comercializar e usar motosserras sem controle.

Orlando Brito