Mil palavras

O encontro de Donald Trump e Kim Jong Un, no Hotel Capella em Singapura. Foto Shealah Craighead/White House

A foto de Trump com Kim Jong-un me provocou repulsa. Onde os jornais viram a perspectiva de um acordo de paz, eu vi o fracasso de toda uma geração. Minha filha sempre tentou policiar meu preconceito estético. Em qualquer lugar onde a gente estava, ela tentava evitar meus comentários baseados nas questões de peso, cara e bunda. Sou tolerante, aceitei parte dos argumentos dela.

Apenas alguns, afinal, jovem, ela acredita ainda no Papai Noel das boas intenções. Beirando os 60, não tenho mais o direito de acreditar no ajuntamento de excrescências. O retrato da dupla de líderes antagônicos é a demonstração pronta e acabada de mais um, entre tantos, fracasso da minha geração.

Ali, naquela imagem, está reunida a síntese de tudo o que a gente sempre combateu: o capitalista opressor e o ditador maluco. Darwin errou muito. A teoria da evolução era uma hipótese. E não aconteceu. É possível acreditar em algo saudável saído daquela conversa? Que venha a próxima guerra, com tacape e arco e flecha.